quarta-feira, 20 de maio de 2020

Copa do Interior só em 2021

Devido a crise do Covi19, que paralisou quase que todas as atividades, os campeonatos brasileiros de futebol estão parados.

Segundo comunicado da FPF a tradicional Copa do Interior de futebol, realizada com participação das seleções das cidades, não será realizada este ano ficando para 2021.

Garanhuns, que está há anos sem participar da competição, estava se preparando para voltar mas segundo Samuel Guedes, interventor da Liga, um comunicado da FPF, esta semana, confirmou o adiamento da competição.

Segundo a própria FPF o campeonato pernambucano da série A2, que sempre foi realizado no segundo semestre, poderá, dependendo da Pandemia, ser realizada em 2020 mesmo que seja nos últimos meses do ano.  A federação de informar aos clubes interessados, entre eles o Sete de Setembro, se e quando a competição será realizada.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Eleições mantidas


A eventual necessidade de se adiar as eleições deste ano é um cenário monitorado de perto por um grupo de trabalho instituído em abril pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apesar da pandemia do novo coronavírus, o tribunal afirma que, por enquanto, tem dado conta de manter o seu cronograma de providências materiais e testes para que o calendário eleitoral não sofra alterações. Como a constituição prevê que a eleição deve ser realizada "no primeiro domingo de outubro do ano anterior ao término do mandato dos que devam suceder", qualquer mudança de data, por menor que seja, requer aprovação de uma proposta de emenda constitucional. Ou seja, precisa de duas votações na Câmara - com aprovação de ao menos 308 dos 513 deputados - e outras duas no Senado, com o aval de 49 dos 81 senadores. Portanto, a seguir essa linha, os postulantes aos cargos de prefeitos e vereadores e os eleitores trate de se organizarem pois em outubro iremos as urnas.


Maioria quer adiar – Pesquisa DataPoder360 indica que 60% dos brasileiros são favoráveis ao adiamento das eleições municipais de outubro para novembro ou dezembro por causa da pandemia de coronavírus. Outros 24% querem que a data seja mantida. Há também 12% que dizem apoiar a extensão dos mandatos atuais de prefeitos e de vereadores, cancelando assim o pleito de 2020. O 1º turno das eleições municipais está marcado para 4 de outubro. O 2º turno, em 25 de outubro. A pesquisa foi realizada de 11 a 13 de maio pelo DataPoder360, divisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 512 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais.


Do blog Magno Martins 

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Garanhuns perde o Professor, Advogado, Político e Radialista Antônio Edson

Antônio Edson e sua esposa Verônica
Garanhuns anoiteceu hoje, quinta-feira, 29 de abril, triste com a noticia de que o professor, radialista e homem público Antônio Edson de Araújo Lima faleceu.  Ele estava internado  no Hospital Monte Sinai e por voltas das 17 horas desta quarta -feira veio a óbito.  Antônio Edson nasceu em Limoeiro-PE, no dia 28 de setembro de 1943. Estava com 78 anos.

Antônio Edson foi advogado, professor da rede municipal de ensino, em Garanhuns, foi vereador de Garanhuns por 3 mandatos nos anos de 1968, 72 e 76, foi diretor do Ciretran, em Garanhun,  radialista nas Rádios Difusora de Garanhuns (Rádio Jornal) e Rádio Meridional de Garanhuns, sendo ainda servidor da justiça estadual em União dos Palmares-AL.

Abaixo texto do professor Eugênio Sobrinho.

O professor Antônio Edson foi um dos mais influentes comentaristas esportivos de Garanhuns e Região. A sua opinião, sempre afinada com o que realmente estava ocorrendo dentro de campo, induzia o torcedor a ficar de ouvido colado no rádio, por que ele conseguia descrever, com a maior fidelidade possível, toda a história do jogo. Por mais distante, era como se o ouvinte estivesse na beira do gramado, ouvindo o seu comentário.

Foi um dos grandes nomes da crônica esportiva escrita e falada em Garanhuns. Desfilou o seu talento, com uma voz inconfundível. Era o “Comentarista das Multidões”. Escreveu uma coluna esportiva para vários jornais da nossa cidade, entre eles o Monitor. Nas emissoras de rádio, emprestou sua voz, com opinião, para a antiga Rádio Difusora de Garanhuns (hoje Rádio Jornal) e também para a Rádio Meridional, quando a mesma pertencia ao Grupo Pérola.

Este ícone da radiofonia nos deixou, mas na sua trajetória como comentarista esportivo, brilhou ao lado de outros monstros sagrados da comunicação, no rádio esportivo de Garanhuns, tais como os narradores: Josmário Silva (de Palmeira dos Índios), Aguinaldo Trajano (de Caruaru), Ricardo Trajano (da antiga Telpe), Simão Silva, Aloísio Alves e Lenildo Ramos; os repórteres Áriston Brito, Paulo Revoredo e Gláucio Costa e o comunicador Jonas Lira, que fazia a resenha esportiva na Rádio Difusora de Garanhuns.

 “Foi ao lado de Jonas Lira, que o seu comentário ia ao ar, logo após a Ronda Policial, que tinha o comando de Aloísio Alves, e os ouvintes contavam com a opinião do nosso saudoso Antônio Edson”, contou o radialista Simão Silva.
Antônio Edson e Ariston Brito

“Na Rádio Meridional ele participava, todas as tardes, da resenha esportiva Show de Bola. Na época, por telefone, com o seu comentário. Lembro como hoje, nós ligávamos pra ele e o operador colocava a vinheta, – E agora, com vocês, Jogo Perigoso, o comentário de Antônio Edson. Aí ele entrava livre, leve e com suas palavras fáceis”, afirmou o radialista Áriston Brito.
Outros grandes nomes trabalharam ao lado dele, mesmo sem os ter citado, peço que se sintam fazendo parte desta história e podem enviar para que possamos aqui deixar registrados.

“Ele tinha um grande sonho que era escrever um livro contando as chamadas Grandes Pérolas do futebol de Garanhuns, mas que infelizmente não conseguiu realizar, contava com um bom acervo sobre histórias vividas pelos colegas de rádio e de jornais”, afirmou o radialista Simão Silva.

Edson em raro momento de lazer

Agora é comigo.

A minha história na radiodifusão tem muito a ver com o nosso, agora saudoso, Antônio Edson. Nos anos 90, quando ingressei no Rádio(na antiga e saudosa Rádio Difusora de Garanhuns), ainda gaguejando as primeiras palavras da minha nova e honrada profissão, tive o prazer de, em poucos tempos, conhecer o amigo/irmão Antônio Edson, que além de escrever suas colunas para os jornais locais era o comentarista da emissora.

Foi ao lado deste “monstro sagrado da comunicação” que enveredei na crônica esportiva. Primeiro nos programas e depois nas transmissões como repórter e posteriormente narrador esportivo.
Fiz muitas transmissões ao lado de feras da locução esportiva a exemplo de Josmário Silva, no qual me espelhei visto que se tratava de um grande narrador esportivo, que já está no andar de cima, Aguinaldo Trajano e companheiros  como Ariston Brito, Jonas Lira, Aldo Vilela e Lenildo Ramos.
Antônio Edson, ou Edson, como carinhosamente eu o chamava, era um companheiro que, mesmo fora dos microfones, nunca esqueceu os amigos. Sempre que nos encontrávamos era só alegria.

Recife, Caruaru, Petrolina, Timbaúba, Limoeiro, sua terra natal e outras cidades do nordeste era caminho da roça, pois viajávamos uma ou duas vezes por semana para acompanhar os clubes de Pernambuco  especialmente Sete de Setembro e AGA, clubes de Garanhuns quando estes disputavam o campeonato pernambucano. Edson tinha uma grande paixão no nosso futebol o seu Santa Cruz de quem fala com muito orgulho.

Certo dia, já á poucos tempos, encontrei com ele foi quando ele me disse: Simão eu tenho um sonho a realizar e quero contar com você. Eu lhe perguntei de que se tratava e ele disse: estou pretendendo escrever um livro sobre as “pérolas”  das nossas transmissões”, que não eram poucas, quero contar com você. Fiquei muito feliz mas não deu tempo devido aos males que os acometeram. Tenho certeza que se o projeto tivesse ido adiante seria uma bela obra pois o homem sabia tudo e um pouco mais da matéria que se propunha a escrever. Edson era uma pessoa extrovertida, amigo, companheiro e, o melhor, um grande ser humano.

Foi com muita tristeza que recebi a noticia de que ele nos deixou. A família, especialmente dona Verônica, sua inseparável companheira e a toda família meus sentimentos e a certeza que deus vai ajudar a todos preencher esta lacuna deixada pelo amigo Antônio Edson.  Agora com certeza a equipe de esportes do céu está mais completa pois ele vai se juntar ao nosso querido Josmário Silva, dois profissionais que só quem os conheceu sabe do que estou falando. Vai com Deus irmão. 

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Historias e curiosidades das Copas do Mundo – IV


Como é de conhecimento de todos, por causa da II guerra mundial (1 de setembro de 1939 a 2 de setembro de 1945), não foram realizadas as Copas do Mundo de 1942 e 1946, voltando o campeonato mundial de futebol a ser realizado em 1950 no Brasil.

A Segunda Guerra deixou marcas profundas em alguns países, o que tornou impossível a participação no Mundial no Brasil. Hungria, Tchecoslováquia e Polônia não tiveram condições. A Alemanha foi proibida pela FIFA de jogar. Com tudo isso, houve 32 inscritos nas eliminatórias, dos 72 países filiados. Brasil, como sede, e Itália, como último campeão, estavam classificados automaticamente. Argentina, Áustria, Bélgica, Birmânia, Colômbia, Equador, Filipinas e Peru desistiram durante as eliminatórias.  Dos 16 que restaram, Escócia, Índia e Turquia abriram mão das vagas. França, Irlanda e Portugal, convidados para serem os substitutos, declinaram. E o Mundial ficou com apenas 13 seleções, entre elas a Inglaterra, finalmente estreando em Mundiais.
A Copa de 1950 foi à quarta Copa do Mundo de Futebol. Ocorreu entre os dias 24 de junho e 16 de julho no Brasil, com jogos realizados nas cidades de Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo. 13 países participaram da competição, 22 jogos realizados, foram marcados 88 gols (média de quatro gols por jogo), artilheiro Ademir de Meneses (9 gols), público de 1.043,500 com uma média de 47.431,8 pessoas por jogo. Campeão Uruguai 2x1 vice a seleção brasileira. Os jogos realizados no Recife teve como palco o Estádio Ademar da Costa Carvalho (Ilha do Retiro) com capacidade, na época, para 18 mil torcedores. Na final o Maracanã recebeu 199,854 torcedores.

A decisão

No último jogo, contra o Brasil, o Uruguai só tinha uma opção: vencer. A seleção brasileira jogava com a vantagem do empate e um país inteiro à espera da conquista do tão sonhado título. Não havia um que não acreditasse. Quase 200 mil pessoas se espremeram no Maracanã para comemorar mais do que propriamente torcer. O time ainda abriu o placar, com Friaça, a um minuto do segundo tempo, só aumentando a euforia. Mas, sob o comando de Obdulio Varella, a Celeste se agigantou. Tudo começou a mudar com o empate de Schiaffino, aos 21. E depois o gol da vitória de Ghiggia, aos 34, deu início ao Maracanazo, num dos maiores silêncios ensurdecedores da história do futebol. E o Brasil chora até hoje essa derrota.

Curiosidades da Copa

Números nas camisas já haviam sido adotados nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 38 e em diversos jogos entre clubes, inclusive no Brasil. No entanto, a numeração apareceu em Copas apenas na edição de 1950, facilitando a identificação para narradores e torcedores.
Contudo, na contra mão da modernidade, a Índia desistiu da participar da Copa do Mundo de 1950 por um dos motivos  mais esdrúxulos que se pode imaginar. A seleção abriu mão da disputa ao descobrir que seus jogadores não poderiam atuar descalços.

domingo, 26 de abril de 2020

Historias e curiosidades das Copas do Mundo – III


A Copa do Mundo FIFA de 1938 foi a 3º Copa do Mundo disputada e foi sediada na França entre 4 e 19 de junho. A Itália manteve o título e foi bicampeã, derrotando a Hungria por 4–2 na final. 

Três países se candidataram para ser a sede da Copa: AlemanhaArgentina e França; A Alemanha, que organizava os Jogos Olímpicos de Verão de 1936, tinha interesse por mais um evento para propaganda do nazismo de Adolf Hitler. A Argentina esperava sua vez por um possível rodízio de continentes. Os dois eram os favoritos. Mas, em agosto de 1936, em Berlim, durante as Olimpíadas de 1936, o Congresso da FIFA se reuniu e decidiu, como homenagem a Jules Rimet, já com 64 anos, e a Henri Delaunay, outro dirigente da entidade, fazer a Copa na França, a terceira candidata. A decisão causou afronta na América do Sul, que acreditava que as sedes seriam alternadas entre os dois continentes; em vez disso, foi o segundo torneio consecutivo a ser jogado na Europa. Em razão disso, todas as seleções americanas (exceto Brasil e Cuba) boicotaram a Copa de 1938, em solidariedade a Argentina. Esta foi à última Copa do Mundo antes do início da Segunda Guerra Mundial.

A Copa de 38, segunda realizada na Europa, foi disputada por 32 seleções com algumas estreias: Cuba e as Índias Holandesas, além das poderosas equipes da Alemanha e da Polônia. O Brasil se classificou com a desistência da Bolívia, ficando em terceiro lugar na competição.

Pela primeira vez, o país anfitrião e o vencedor da Copa anterior estavam automaticamente classificados, inaugurando o critério que prevalece até hoje.
 
O Mundial da França registrou a pior média de público até hoje. Cerca de 21 mil torcedores por partida.

Estatísticas da competição

Período: de de 04 a 19 de junho de 1938
Total de jogos: 18
Gols marcados: 84
Média de gols: 4,66 por partida
Artilheiro: Leônidas da Silva (Brasil) - 08 gols.
Público total: 374.937 pagantes
Média de público: 20.830 pagantes
Campeão: Itália e a Hungria como vice-campeão

quarta-feira, 22 de abril de 2020

Eleições 2020


O Tribunal Superior Eleitoral criou um grupo de serviço para avaliar o impacto da Pandemia do Coronavirus nas eleições previstas para 4 de outubro vindouro e concluiu que o pleito deve ser mantido.
O grupo foi criado para responder aos questionamentos sobre a capacidade da Justiça Eleitoral de manter o calendário eleitoral e os procedimentos preparatórios diante das medidas de isolamento. 
O primeiro turno será realizado no dia 4 de outubro. Se necessário, o segundo turno será no dia 25 do mesmo mês. Cerca de 146 milhões de eleitores estarão aptos a votar para eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios do País.

Serviços eleitorais pela Internet

Tirar o primeiro título de eleitor; transferir o domicílio eleitoral; alterar dados pessoais e local de votação. Esses e outros serviços  já podem ser acessados pela Internet, através do atendimento remoto, protegidos por mecanismos de segurança para evitar fraudes. 

Os eleitores que queiram mudar seus domicílios eleitorais tem que justificar os motivos, exemplo: mobilidade, mudança de endereços entre outros.  O eleitor que ainda não fez a biometria será convocado pela justiça eleitoral em breve para fazer o procedimento.  Se não atender a solicitação da Justiça Eleitoral, ele fica sujeito ao cancelamento ou indeferimento de sua inscrição.

Os eleitores tem até o dia 6 de maio para regularizar seu título eleitoral para está apto a votar no dia 4 de outubro.

segunda-feira, 20 de abril de 2020

Historias e curiosidades das Copas do Mundo – II


Copa do Mundo de 1934 foi a segunda Copa do Mundo FIFA, o campeonato mundial entre seleções masculinas de futebol. Teve lugar na Itália de 27 de maio. A Itália se tornou a segunda campeã mundial, derrotando a Tchecoslováquia por 2 a 1 na final.
Após um longo processo de tomada de decisão em que o comitê executivo da FIFA se reuniu oito vezes, a Itália foi escolhida como o país anfitrião em reunião em Estocolmo em 9 de outubro de 1932.  A decisão foi tomada pelo Comitê Executivo, por decisão unânime dos 29 membros. A candidatura italiana ganhou força após a desistência da Suécia. O ditador fascista Benito Mussolini fez questão da Copa ser na Itália (para provar a superioridade do fascismo italiano) e designou o general Giorgio Vaccaro para a missão de negociar com a FIFA. O governo italiano garantiu que dinheiro não seria problema e investiu 3,5 milhões de liras no torneio.
Na Copa da Itália, segunda competição mundial de seleções, foram realizadas 17 partidas, marcados 70 gols (média de 4,12 gols por jogo, maior goleada da competição Itália 7X1 Estados Unidos.
Apesar de ser sede, a Itália teve que disputar as eliminatórias, primeira e única vez que um pais sede não teve classificação automática. 
A fase de grupos usada na primeira Copa do Mundo foi descartada em favor de um torneio eliminatório direto. Se uma partida terminasse empatada depois dos 90 minutos, 30 minutos de prorrogação seriam jogados. Se persistisse o empate, a partida seria refeita no dia posterior
Curiosidades da Copa:
A desistência de Chile e Peru colocaram Argentina e Brasil na Copa sem jogar um único jogo.